Midcult

sábado, novembro 28, 2009

Twitts à venda

Filed under: Uncategorized — Nádia Lapa @ 10:16
Tags: ,

Entrei no Twitter há quase dois anos. No início, eu mal usava. Achava inútil, devagar. Daí comecei a seguir pessoas interessantes, meus amigos começaram a usar mais, e me viciei. A fase do vício já passou, ainda que eu fique com o TweetDeck aberto o dia inteiro.

A gente escolhe quem seguir quando lê um RT interessante ou engraçado. Procura o twitter de jornalistas/artistas/escritores que a gente gosta. E estas pessoas gozam de uma certa credibilidade.

Com o boom do Twitter, aconteceu o que já ocorrera nos blogs muito lidos: criou-se um espaço para propaganda.  Muitos caíram em cima de Marcelo Tas, que vendia twitts para a Telefonica. A @twittess tinha até uma tabela de valor por twitt rolando na internet.

Criou-se uma celeuma se a venda era moralmente correta. Eu acho errado. Pra mim, é como se no meio de uma conversa entre amigos eu dissesse “gente, experimentei o novo refrigerante de uva da Pepsi e é uma delícia”. Eu odeio uva. Mas, se você é ok com isso e acha que não tem nada de mais, pelo menos avise que aquele é um twitt patrocinado. Marcelo Tas fazia isso (não sei se ainda faz, há muito eu não o sigo).

Twitts patrocinados são como merchandising em novela. O curioso é que todos os jornalistas/entendidos de mídia e afins reclamam destas inserções. E eles mesmos estão hoje fazendo propaganda do novo Mentos, como se o lançamento de uma nova bala fosse algo socialmente relevante.

Eu já sou bombardeada por propaganda na TV, nos sites que visito, antes dos trailers do filme (lembram quando isso não existia?), na rádio, nas filipetas que me entregam nas ruas. Everywhere. Pelo menos no Twitter quero me ver livre disso.

Dizem que na TV a gente sempre tem a opção de trocar o canal. O “controle remoto” do Twitter é o unfollow.

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.