Midcult

sexta-feira, fevereiro 26, 2010

Donos do meu coração

Já expressei meu amor por Johnny Depp no post abaixo. Mas acabei não falando de Tim Burton, que dirigiu um dos meus filmes favoritos-de-todos-os-tempos, Big Fish. Já assisti brincando umas dez vezes, e choro copiosamente em todas elas. À ocasião, o diretor colocou Eddie Vedder (Pearl Jam) cantando Man of the hour para as cenas finais – justamente na hora em que meu choro vira um soluçar compulsivo.

Desta vez, ele quis que meus globos oculares saiam da minha caixa craniana (gostaram da visão?) em pleno cinema. Escolheu Franz Ferdinand (ei, Alex Kapranos, te vejo em duas semanas!) para a trilha sonora:

A trilha tem também Robert Smith (The Cure), All American Rejects com a boa The Poison, Tokio Hotel e Avril Lavigne (???????), chatíssima como de costume:

Eis o time completo de Almost Alice, a ser lançado no próximo dia 2:

1. “Alice (Underground)” – Avril Lavigne
2. “The Poison” – The All-American Rejects
3. “The Technicolor Phase” – Owl City
4. “Her Name Is Alice” – Shinedown
5. “Painting Flowers” – All Time Low
6. “Where’s My Angel” – Metro Station
7. “Strange” – Tokio Hotel and Kerli
8. “Follow Me Down” – 3OH!3 featuring Neon Hitch
9. “Very Good Advice” – Robert Smith
10. “In Transit” – Mark Hoppus with Pete Wentz
11. “Welcome to Mystery” – Plain White T’s
12. “Tea Party” – Kerli
13. “The Lobster Quadrille” – Franz Ferdinand
14. “Running Out of Time” – Motion City Soundtrack
15. “Fell Down a Hole” – Wolfmother
16. “White Rabbit” – Grace Potter and the Nocturnals

domingo, agosto 23, 2009

Fofo é pouco

Andei meio me estranhando nos últimos dias. Continuo meio perdida em relação a diversas questões que preciso resolver com urgência. Mas uma coisa que não posso negar é que sou indie. Não aqueles indies que conhecem bandas independentes da Estônia (o nome disso pra mim é outro). Mas meio nerd, meio indie. Com orgulho.

Então não tive como ver Nick e Norah – Uma noite de amor e música nas prateleiras da locadora e não pegar. Domingo chuvoso após uma noite de sábado que eu preferia não ter vivido? Nada melhor que uma comédia romântica, não?

200px-Infinite_playlist

O nome em inglês é Nick and Norah’s Infinite Playlist, o que soa muito mais romântico e perene do que o título abrasileirado. Aqui foi lançado direto em DVD e pouco se falou no filme. Uma pena, pois o longa é absolutamente delicioso, leve e moderno. Li algumas críticas de que o roteiro é fraco, mas who cares quando há diálogos muito bem sacados e quando os ditos losers se encontram?

O Nick do título é vivido por Michael Cera, do superestimado Juno. Logo nos créditos iniciais o nome do ator aparece em meio a nomes como The Cure, Modest Mouse, We are Scientists. Tem como não amar? (1)  Nick tomou um pé, não consegue superar o desprezo e dirige um carro caindo aos pedaços. Mas ele tem amigos maravilhosos, todos gays, e é com eles que acontece o primeiro diálogo sensacional do filme. Tentando animar o amigo deprê, eles dizem que naquela noite irão arranjar alguém melhor para Nick. E ele responde:

– Não é fácil assim. Vocês não tem ideia do que é ser hetero. É horrível.

Tem como não amar (2)?

Em uma série de encontros casuais, Nick encontra Norah e o resto vocês já sabem. O que acontece até que eles finalmente aceitem que são seres amáveis e que merecem a felicidade a dois, ainda que tenham vivido histórias ruins no passado (e não vivemos todos?),  é que deixa o filme ainda mais perfeito.

Ideal para quem curte um bom e velho rock and roll e – de alguma forma totalmente utópica –  ainda acredita em encontros que podem mudar uma vida.

Nádia Lapa

sexta-feira, agosto 21, 2009

Minha nova música favorita

Quando eu gosto de uma música, eu ouço over and over again. A escolhida da vez é Impossible, do Shout Out Louds:

A banda de nome curioso* é da Suécia e fez relativo sucesso ao aparecer em alguns seriados americanos, como o The O.C.:

E One Tree Hill:

Tonight I have to leave it apareceu nas telonas em Jogo de amor em Las Vegas (com Cameron Diaz e Ashton Kutcher).

Em Nick and Norah’s Infinite Playlist, outra comédia romântica, é a vez de Very Loud (que não curto, aliás).

Aqui no Brasil a banda é conhecida por causa desse comercial aqui:

A versão original de Shut Your Eyes está aqui, ó.

Os rapazes estiveram aqui no Brasil ano passado, junto com o Peter Bjorn and John (a banda do assobio), no festival Invasão Sueca. A mané aqui não foi porque não tinha companhia.

Anyways, recomendo. Super recomendo.

Nádia Lapa

*o nome da banda era originalmente Luca Brasi. O “Shout Out Louds” foi tirado de uma música do The Cure (AMO), High. A letra você encontra neste link.

sábado, junho 6, 2009

O melhor amigo da noiva

Vi o estúpido filme do título deste post hoje. Eu estou muito num mood comédia romântica, e peguei esse na locadora. Achei que valeria a pena ver Patrick Dempsey nesta noite fria. Não faça o mesmo que eu – o filme não vale nem uma resenha medíocre num blog que é lido por umas três pessoas.

o-melhor-amigo-da-noiva1

FUJÃO desse filme.

Mas não fujam, de maneira nenhuma, da trilha sonora.

Os ótimos meninos do Fratellis dão pinta por lá. 

Mas não é só indie rock que tem por ali, não. Tem Frankie goes to Hollywood, Oasis…

01. Smash Mouth – Walkin’ On The Sun
02. Sara Bareilles – Love Song
03. Lenny Kravitz – Love Revolution
04. Kanye West – Golddigger
05. Dorthy Moore – Misty Blue
06. James Morrison – You Give Me Something
07. El Presidente – Without You
08. Snap – The Power
09. Kool & The Gang – Ladies Night
10. Jimmy Shand – The Gay Gordons
11. Eddie Reader – My Love Is Like A Red, Red Rose
12. The Fratellis – Henrietta
13. Oasis – Stop Crying Your Heart Out
14. Chris Isaak – I Want You To Want Me
15. The Tacticians – Respectfully Proceeding
16. Ray Charles – I Got A Woman
17. Frankie Goes To Hollywood – Two Tribes
18. Tomoyasu Hotei – Battle Without Honor Or Humanity
19. Dashboard Confessional – Stolen

Nádia Lapa

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.