Midcult

domingo, novembro 22, 2009

They can read my mind

Filed under: Uncategorized — Nádia Lapa @ 16:08
Tags: , , ,

Local: Chácara do Jockey. Rolava um trauma pelo confuso show do Radiohead na mesma estância.

Cidade: São Paulo, terra de gente estranha que não interage muito em shows.

Tempo: chuva. MUITA chuva. E a certeza que a Chácara havia virado um charco.

Banda: The Killers, uma das minhas favoritas de todos os tempos, mas que olhava com desconfiança em apresentações ao vivo desde o Tim Festival (do Rio), em 2007.

No caminho para a Chácara, a conjunção destes quatro fatores me fez até confessar que, se não fosse por Brandon Flowers, eu não iria. “Só vou porque sou fã”, disse.

Ainda bem que eu fui.

Já nos primeiros acordes de Human, toda a chuva, lama, o cheiro de maconha, os pés encharcados… nada disso fez mais diferença. Brandon Flowers, o vocalista da banda, surgiu com uma jaqueta que só pode ter sido roubada das Paquitas, da Xuxa. Felizmente, ele se livrou logo logo do adereço e, com uma roupa toda preta, conquistou os corações de todo mundo ali. Não é tão difícil quando se tem no repertório Somebody Told Me (ouvir de novo “you had a boyfriend who looked like a girlfriend…” ao vivo é priceless), Bones, Mr. Brightside e Spaceman… Quando Brandon Flowers emendou um trechinho de Can’t help falling in love, do Elvis, com A dustland fairytale, então… matou. A sensação é exatamente esta: morri e fui pro céu.

Eu prefiro que o céu não tenha tanta lama, mas já que não tem jeito, só nos resta aproveitar. A galera cantou TUDO. Parece que a chuva fez bem aos paulistanos, normalmente tão comedidos em shows. Eu só vi coisa parecida no show da Madonna, em dezembro de 2008.

Neste vídeo aqui a imagem tá ruim, mas dá pra ter ideia de como a galera cantou junto:

A banda tocou Human novamente, desta vez com Brandon ao piano. Ele até errou notas. Não tinha importância. Ele havia acabado de nos chamar de “corajosos” por termos ido lá:

A primeira parte do show terminou com All these things that I’ve done, com direito a uma chuva de papel picado. Quase ninguém arredou o pé. Claro que sempre tem aquelas pessoas que “fogem do tumulto” e saem antes do bis (na boa? você pagou pelo menos 100 reais pra estar ali, mais 50 de estacionamento, está com lama até a alma e vai embora antes de When you were young?).

Logo eles voltaram pro bis. A primeira foi Jenny was a friend of mine. Flowers, bem mais simpático do que na apresentação no Rio em 2007, avisou: “Esta é a última música, mas vamos tocar ‘as hard as we can'”. E pediu pra que o público os acompanhasse na batida. Nem precisava: a catarse era coletiva. Era hora de When you were young.

Pena. Eu poderia ficar ali pulando e gritando por mais umas duas horas antes de lembrar que tenho lombalgia. Eu poderia ouvir This river is wild, Under the gun,  Romeo and Juliet (cover de Dire Straits), Why do I keep counting e Losing touch. Mas tudo foi tão absolutamente perfeito (inclusive por não ter tocado Uncle Johnny e Andy, you’re a star) que não dá nem pra reclamar.

Eu saí de lá sorrindo, com barro até o joelho, com perda total no meu all star, com os cabelos de louca varrida. Só me senti assim uma vez: na saída do show do R.E.M. no Rock in Rio 3. E isso não é pouca coisa.


Anúncios

sábado, setembro 19, 2009

Ainda dá o que falar

Filed under: Uncategorized — Nádia Lapa @ 17:02
Tags: , , ,

A malice do Kanye West no último VMA ainda dá o que falar. Até Barack Obama se meteu na história, mas as paródias que têm surgido por aí é que deixam a história viva.

E o humorista Jimmy Kimmel (da ótima história “I’m fucking Matt Damon” e afins) invadiu um show dos Killers para brincar de Kanye West.

Como o áudio tá bem ruim, o que ele diz (segundo a NME, pq também não entendi) é “”I’m really happy for you and I’m going to let you finish, but I want to say Beyonce made one of the best videos of all time…and the Psychedelic Furs had one of the best songs of all time!”.

(o Killers estava fazendo uma homenagem ao Psychedelic Furs e toca logo em seguida Pretty in Pink junto com a banda)

Ah, só lembrando: os Killers se apresentam aqui em Sampa no dia 21 de novembro, na longínqua e desconfortável Chácara do Jockey. O show do Rio foi cancelado.

Nádia Lapa

terça-feira, setembro 8, 2009

Xerox, fotocópia e autenticada

Segunda feira é dia de fazer promessas. Dieta. Não ligar mais praquele cretino. Arrumar a casa todos os dias, pra não ter que perder o sábado faxinando. Atualizar o blog com mais frequência.

Opa! Hoje não é segunda. Mas vamos combinar que com um feriado ontem e essa chuva torrencial de hoje… nada mais segunda-feira que isso, right?

Então, vamos à promessa que tenho descumprido miseravelmente: atualizar o blog com mais frequência.

Eles estarão aqui em dois meses e meio. Se chover em 21 de novembro como está chovendo hoje, teremos um novo Rock in Rio I (sim, eu já era nascida e lembro dos meus pais chegando em casa com os pés enlameados).

Mr. Brandon Flowers e cia fizeram sua very own Romeo and Juliet:

A canção foi gravada originalmente pelo Dire Straits, em 1980. A letra é de Mark Knopfler, que também canta a música. Nesses quase trinta anos, Romeo and Juliet já fez parte da trilha sonora de Chumbo Grosso (2007), Empire Records (1995, com Liv Tyler e Renée Zellweger) e Mal Posso Esperar (1998, com a cabeçuda Jennifer Love-Hewitt).

O You Tube está recheado de covers da música. Incrível como uma canção de 30 anos pode ser tão moderna. Mas confesso que prefiro a versão dos Killers. E você?

Nádia Lapa

quinta-feira, agosto 13, 2009

Brandon Flowers é rei

Filed under: Clipes,Música — Nádia Lapa @ 19:10
Tags: , , ,

Você já comprou seu ingresso pro The Killers em novembro? Nós já!

Enquanto 21 de novembro não chega, vamos nos divertir com o novo vídeo da banda:

Para garantir sua entrada no lamaçal, clique aqui.

Nádia Lapa

sexta-feira, julho 24, 2009

Boas novas na música

O Coldplay colocou na praça o lindo vídeo de Strawberry Swing, do álbum Viva la Vida e blá blá blá.

Por falar na banda do pai da Apple, vazou na internet um demo de nove das músicas do último CD do Coldplay. Dá para baixar aqui (eu não baixei, mas a fonte que indicou é segura).

***

Sem sair dos domínios da rainha e ainda falando em animação, o U2 lançou o clipe de I’ll Go Crazy If I Don’t Go Crazy Tonight. Por questões de direito autoral, não dá pra incorporar o vídeo aqui, mas você pode ver direto no You Tube.

***

vedder

Os amados-idolatrados-salve-salve do Pearl Jam colocaram no My Space a nova The Fixer. O que eu achei? Não sei. Não consigo mais ouvir a banda sem ser ao vivo.

Veja o que você acha.

***

Por falar em lançamento, o Weezer anunciou que seu sétimo álbum – ainda sem data definida de lançamento – está quase pronto. Com três álbuns anteriores batizados com o próprio nome da banda, ainda não se sabe se, mais uma vez, um disco dos americanos se chamará Weezer. Os anteriores foram apelidados por cores: Blue, Green e Red. Qual será a do próximo? Pra ficar nas cores primárias, minha sugestão é que se chame “The Yellow Album”.

***

Esse boato muito me interessa! Segundo o Lúcio Ribeiro (que adora falar no blog que super curte as coisas, mas na única vez que dividimos uma pista de dança ele mais parecia uma estátua), o Killers volta ao Brasil em 2009.

As datas e locais já estariam definidos:  São Paulo (local não definido) – 21/11. Rio de Janeiro (HSBC Arena) – 22/11. Porto Alegre (Teatro Bourbon), 25/11.

Mr. Brandon Flowers já veio ao Brasil dois anos atrás, com uma apresentação fraca no Tim Festival. Mas tudo bem, eu dancei, cantei e me diverti com meus queridos amigos. Se eles vierem mesmo em 2009, vai ser de novo perto do meu aniversário. Hum… essa “perseguição” por datas perto do meu aniversário tá me cheirando a presente, hein? Meninos, aprendam: é dia 05 de novembro, tá?

Olha só os portugueses curtindo horrores o show do Killers semana passada em Lisboa:

Nádia Lapa, contando os minutos pra 21 de novembro!

domingo, maio 31, 2009

Inutilidades de domingo – Parte II

Gretchen fez 50 anos na última sexta feira (29). Fiquei surpresa com a idade. A minha mãe tem 54 e está muito melhor que ela fisicamente, devo dizer.

***

Brandon Flowers, vocalista do The Killers, será papai novamente. O primeiro filho nasceu em 2007. Agora, sua esposa Tana está grávida novamente. Eu J-U-R-A-V-A que ele era gay, gente!

brandon-flowers-01

Vai dizer que esse lápis no olho não te dá essa impressão, também? (mesmo assim, pego fácil)

***

O Guitar Hero 5 será lançado este ano. Músicas do Arctic Monkeys, Bob Dylan, The White Stripes, Rolling Stones e Weezer virão no jogo. Show de bola!

***

Dira Paes, a Norminha, já paquerou homem fardado

Atriz reconhece sua sensibilidade, mas diz que não posaria nua

Essa notícia estava no Ego. Alguém por favor me explica esse “olho”? (olho=subtítulo) 

Não consegui entender o que uma coisa tem a ver com a outra!

***

Do Perez Hilton:

aguilera_08_wenn2436583xtin

Esta boneca de porcelana é a Christina Aguilera na última sexta feira. Você não reconheceu por conta dos quatrocentos e cinquenta e quatro quilos de maquiagem que ela passou no rosto. 

***

Essa foto é pra uma leitora assídua. 

heidi

Grávida, Heidi Klum passeia com a filha. 

Nádia Lapa

segunda-feira, maio 18, 2009

Brandon, sem ombreiras, please

Filed under: Clipes,Música,Rock — Nádia Lapa @ 13:29
Tags: ,

Saiu o novo vídeo dos queridíssimos do The Killers.

O clipe de The world we live in é beeeeeeeeeem melhor que os anteriores. 

Mas essas ombreiras do Brandon Flowers são tãaaaaaaaaaaao 1984…

Nádia Lapa, que não entende como alguém pode ser tão simpático no vídeo e tão blé ao vivo

Blog no WordPress.com.