Midcult

sábado, abril 25, 2009

Ritmo Quente

Outro dia, voltando do almoço, entrei numa Americanas que tem ali na região de Pinheiros. Eu ia comprar uma barra de chocolate. Comecei a pesquisa: Suflair, Laka, Diamante Negro, Hershey’s, Galak, Dirty Dancing… Hã??? Ok, não era uma barra de chocolate, mas o DVD do filme que conquistou o coração de vááááárias garotas da década de 80. Alguém arrependido, digo, arrependida de levar a película por míseros R$9,90 abandonou a coitada no meio dos chocolates.

dirty-dancing-poster042

Este filme foi lançado em 1987, e eu lembro como se fosse hoje: minha amiga tinha um VHS e passávamos o dia assistindo. Eu amava o Patrick Swayze e queria casar com ele quando crescesse. O filme, como todo mundo sabe, conta a história de Baby (Jennifer Grey) e Johnny Castle, o Swayze bonitão.

dirty-dancing092

Os dois se conhecem quando a moça vai passar férias numa espécie de resort onde o moço é instrutor de dança. Castle tem uma parceira, mas, após se envolver com um dos garçons do hotel, ela engravida e deixa o pobre rapaz sem ter com quem dançar. A partir daí é aquela história romanceada à beira do brega. Baby quer substituir a moça, mas tem a desenvoltura de um poste. Então, o filme se desenvolve nessa: o professor tenta ensinar o poste a dançar, criando-se todo um universo de paixão, que é condenado, principalmente, pelo pai de Baby.

Enfim, brega, pegajoso, digno do Troféu Framboesa? Prefiro chamar de Kitsch. Sou totalmente fã desse filme porque ele embalou meus sonhos de pré-adolescente. E digo mais: de muita garota por aí. Estou mentindo?

Mate a saudade com uma seleção de cenas ao som de “She’s Like The Wind”:

Ah, e quem adorava cantar “(I’ve Had) The Time Of My Life” pode reviver o momento clicando abaixo:

Mesmo sendo a década perdida, eu adorava a vida nos anos 80.

Por Cintia Santiago

Blog no WordPress.com.