Midcult

quinta-feira, maio 14, 2009

Não deixe de perder!

  • A gravação do DVD “Onde brilham os olhos seus”. Será hoje, em Nova Lima, região metropolitana de Belo Horizonte. Pq perder? É um show de Fernanda Takai, do Pato Fu (eu jurava que eles tinham acabado, mas meu co-worker Lucílio disse que não. terminou de acabar com meu dia com esse comentário, aliás), com músicas de Nara Leão, que deve estar se revirando no túmulo.
  • Após a recuperação do filho Davi, que teve meningite, Claudia Leitte retoma sua agenda de shows. O primeiro deles será no próximo dia 21, em Jaguariúna, SP. Não posso deixar de perder.
  • A nova música de Sandy, Scandal. 
  • A milionésima apresentação do The Calling no Brasil. Via Funchal, 5 de junho. Não te encontro lá!
  • O evento Oi Fashion Rocks, que acontecerá em outubro na minha linda cidade maravilhosa. Quer razão maior pra perder do que o show da Mariah Carey, no dia 24/10?
  • Oportunidade única de não clicar em “save as”: o primeiro álbum da mala do Eminem, Infinity, está disponível para download grátis. Aliás,o novo CD do rapper já está rolando na rede também (o lançamento oficial é só dia 18). Duas oportunidades de perder na mesma semana! Tem coisas que só o Eminem faz por você!
  • Falando em rapper (boooooooooring), 50 cent irá participar do remake de O médico e o monstro, filme de 1941. Forest Whitaker está no elenco também. Vou ser obrigada a perder.
  • Os shows de Jorge Vercilo para promover seus novos CD e DVD, Trem da minha vida – Ao vivo. Dias 22 e 23 no HSBC Brasil, em SP, e dias 30 e 31 no Canecão, Rio. 

Fiquem agora com a ÚNICA música de Jorge Vercilo. Observem a cara de sofredor do moço. E não esqueçam de bater palminhas após o 2:45.

Nádia Lapa

domingo, maio 3, 2009

Xerox, Fotocópia e Autenticada

Há milhões de anos, eu li que um pai havia registrado suas filhas com os nomes de Xerox, Fotocópia e Autenticada. Foi numa época pré-internet, quando Santo Google ainda não existia. Então, provavelmente essa história é verdade.

Pois bem. Este foi o nome escolhido para um post fixo “de sábado”, caso eu lembre de escrevê-lo toda semana. É pra falar de covers; pra analisarmos se a xerox acaba ficando mais bonitinha que o original.

Comecemos com a aniversariante do dia, Lily Rose Beatrice Allen. Hoje (dia 2) ela fez 24 anos.  Na curta carreira (primeiro álbum lançado em 2006), a cantora inglesa já fez covers de diversas músicas. 

Uma que gosto nas duas versões e não consigo decidir qual a melhor é Naive, originalmente gravada pelo The Kooks. Luke Pritchard, vocalista da banda inglesa, compôs a canção quando tinha apenas 16 anos. Eles tocarão em São Paulo dia 19 de junho. O show será no Via Funchal e eu estarei lá. 😉

A versão dos meninos:

A versão de Lily:

Continuando com as bandinhas indies, Lily regravou Oh My God em 2006. Os Kaiser Chiefs haviam lançado a música em 2004.

Eu prefiro a versão original…(até pq esses moços me fizeram muito feliz numa noite de novembro passado…)

Pode-se dizer que esta moça conhece seu público. Ela cantou Everybody’s changing, do Keane. Esta OUTRA banda inglesa já me fez bem feliz as well. Por duas vezes, a última bem recentemente. 

(eu não aguento mais essa música, então nem posso opinar sobre qual a mais legal…)

Pois a inglesinha foi buscar inspiração do outro lado do Atlântico. Heart of Glass, do Blondie, foi a escolhida. Por mais que a voz da Lily fique bonitinha na música, não dá pra competir com o lançamento original, de 1979.

E ela fincou mesmo os pés nos EUA. Recentemente fez uma versão de Womanizer, da Britchney (eu sei q tá escrito errado, tá?).  Curti.

Ela também se inspirou num “cantor” americano pra fazer a Nan, you’re a window shopper. Neste caso, não foi um cover. Foi uma espécie de paródia, mesmo. Enquanto o rapper 50 cent (blerght) gravou Window Shopper, que fala de coisas caras, de quão fodão ele é por comprar coisas, Lily fala justamente o contrário. A música da cantora seria sobre a avó, que é pão-dura. A melodia das duas músicas é bem parecida.

Voltando à terra natal, Lily fez covers de duas músicas de compatriotas. A ótima Don’t get me wrong, dos Pretenders (gravada em 1986) 

e Straight to hell, do Clash, originalmente lançada em 1982

Não dá pra escolher qual a melhor das duas, pois uma banda que tem London Calling no currículo não pode nem ser posta à prova…

Vamos ver qual será a nova de Lily Rose. 

Nádia Lapa

Blog no WordPress.com.