Midcult

terça-feira, julho 28, 2009

Mimimi

Filed under: Falta de noção — Nádia Lapa @ 00:04
Tags: , ,

Sou gorda, loira (falsa) e nortista (é, é isso mesmo. nem tudo que está acima do rio/são paulo é norte, tá? tem nordeste, também. ). Numa tacada só, faço parte de três ditas minorias. Mas eu não paro por aí: sou honesta e heterossexual! Minoria é pouco!

Já perdi as contas de quantas vezes me perguntaram se eu andava de cipó em Manaus ou me disseram que sou modelo de bujão de gás. As piadinhas relativas à minha cidade natal por muitas vezes me fazem ter pena do interlocutor; desconhecer que Manaus tem 2 milhões de habitantes é gravíssimo, então me resta lamentar pela ignorância alheia. Quanto à minha forma física, confesso por muitas vezes ter me deixado abalar pelos comentários. É verdade, porém, que o problema está comigo, com a minha baixa auto estima. Afinal, também já tive a alcunha de “Olívia Palito”, e me incomodava do mesmo jeito. Então, vê-se que meu problema é muito mais interior que exterior.

Sobre ser loira… Bom, eu mesma faço piada disso.

Assim, não consigo entender a comoção que os recentes comentários do Danilo Gentili, do CQC, estão tendo na mída. Segundo os portais online de hoje, a procuradoria federal de São Paulo está estudando entrar com ação contra o humorista por conta de um comentário feito no Twitter de Gentili. Ei-lo:

Logo após ter postado a frase acima, Gentili sofreu duras críticas. Depois, explicou-se – ou, pelo menos, tentou:

Sigo Gentili no Twitter, pois de vez em quando ele manda bem. Confesso que muitas vezes acho as piadas sem graça, grosseiras e por vezes conservadoras demais, mas acho que o unfollow é sempre serventia da casa.

Agora, ONGs de defesa dos negros afrodescendentes estão querendo crucificar o rapaz. Até a hipótese de ação penal está sendo levantada.

Sou absolutamente contra racismo e discriminação. Mas, convenhamos, todos nós fazemos piadinhas com gordos (há um milhão de piadas), asiáticos (pau pequeno), nerds (come-ninguém), flamenguistas/corintianos (ladrões, arruaceiros e afins), advogados (pilantras), portugueses (burros). A lista é infinita. Vamos parar com tudo isso, também?

Hipocrisia no cu dos outros é refresco.

Para ler mais a respeito:

Folha de S. Paulo

Um passinho à frente

O próprio Gentili fala a respeito do caso em seu blog

Discordo absolutamente do autor, mas…

Último segundo

Nádia Lapa, gorda, loira, nortista e pobre

Anúncios

4 Comentários »

  1. Achei a piada sem graça, mas é fato que hipocrisia irrita. E como também sou “minoria” (gordo, uso óculos, praticamente um nordestino), podia ficar de mimimi, mas não. só achei a piada ruim:)

    Comentário por Expedito Paz — terça-feira, julho 28, 2009 @ 00:10 | Responder

  2. Mandou bem, garota!!! Concordo plenamente com vc!!!

    Comentário por Julia Salgueiro — terça-feira, julho 28, 2009 @ 10:04 | Responder

  3. Concordo contigo que pode haver hipocrisia por parte de muitos que estão metendo o pau no cara (aliás quem é Danilo Gentili? O que é CQC?), mas o teor racista é inegável. Sme contar que a piada é uma forma covarde, na minha opinião, de discriminar.
    Não dá pra comparar a sua situação com a da maioria dos negros do Brasil, em geral. Vc pode fazer parte de minorias, mas vc não é pobre, vc tem bagagem cultural, tem voz, ferramentas pra fazer valer suas ideias etc etc. POde até reclamar de falta de auto estima, mas é diferente.
    O negro no Brasil é subjugado, muito além de ser sacaneado. Isso é muito poderoso, sei lá. Acho que tem um tanto de hipocrisia sim, mas ainda assim não há termos de comparação com outras “sacanagens”. Como quando zoam meu marido por ser mto branquelo, ou mesmo quando me chamam de japa. Não consigo mesmo colocar tudo no mesmo patamar.
    Beijo
    Re

    Comentário por rematteoni — terça-feira, julho 28, 2009 @ 22:02 | Responder

    • Taí, Rê. Eu não acho que piada, qualquer delas, seja para discriminar. Eu não fecho os olhos, também, para a história do Brasil.

      No entanto, acredito eu que o maior preconceito que temos aqui é o de classe social, e não de raça. O negro não tem ferramentas para tentar fazer suas ideias? Claro que tem, tanto quanto eu. Daí vc pode dizer que ele nao teve o mesmo acesso à educação. E eu digo que teve, sim. A questão é de grana, de falta de oportunidade a qualquer pobre aqui no Brasil. Acho que questòes de raça passam muito longe disso.

      Comentário por Nádia Lapa — quarta-feira, julho 29, 2009 @ 11:24 | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: