Midcult

quarta-feira, abril 22, 2009

“Cá fora”

Filed under: Uncategorized — O escritor @ 00:49
Tags: , ,

Poesia é realmente uma arte chata para quem não gosta de apreciar os meandros que a compõem. Na verdade, algumas obras são meras chatices em forma de versos. O fato é que, vez ou outra, me deparo com coisas incríveis. Elas não são meramente – simplesmente – poesia; são a transformação do nosso “ser e estar” em arte – simples ou não.

Lendo sobre a realidade de ser jornalista, fiquei à beira de um quase suicídio. Desisti. Abri um livro chamado Poemas Escolhidos e decidi que nunca mais reclamo.

A enrolação acima é somente para dizer que eu indico – fortemente – esta obra. E mais; todo mundo precisa um dia conhecer Sophia de Mello Breyner Andresen – poeta portuguesa (sim, eu falo poeta também no feminino). Se não pela importância que a nobre senhora tem na literatura mundial, que seja pela beleza dura dos versos do poema que intitula este post. E que me fez calar os pensamentos sobre um possível suicídio jornalístico:

“Abre a porta e caminha

Cá fora

Na nitidez salina do real”

Por Cintia Santiago

Anúncios

Deixe um comentário »

Nenhum comentário ainda.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: